Tutorial do EFT Oficial

4a PARTE- Avançado: Fazendo Tapping mais Profundo em Questões Emocionais

A Escrita em Nossas Paredes - Um Conceito Importante do EFT

Uma metáfora Ideal para o Tapping do EFT sobre por que nos comportamos como o fazemos

EFT Tapping Wall Writing image

Eu estudo o desenvolvimento pessoal e o comportamento humano desde que eu era adolescente. Essa viagem expôs-me a uma grande variedade de teorias sobre por que as pessoas têm os desafios que enfrentam e o que pode levá-las a superá-los.  Eu tenho experiência pessoal com todas as teorias e tenho experimentado minha própria versão dessas teorias por décadas.

Certa vez eu criei uma metáfora que faz perfeito sentido para mim e eu a chamo a Escrita em Nossas Paredes. Para mim, ela explica perfeitamente como os acontecimentos em nossas vidas criam nossas crenças sobre o mundo e como essas crenças podem tanto colocar limites quanto abrir novas possibilidades.

Quando eu estava desenvolvendo o EFT esta metáfora já era uma segunda natureza para mim.  Quando trabalho com clientes, meu entendimento de seus problemas baseia-se na Escrita em Suas Paredes. Cada pergunta que eu faço, cada direção que eu escolho para ir, cada teste que eu realizo e cada pedaço de linguagem que eu uso surge dessa perspectiva. Entende-la então irá ajudá-lo a tirar muito mais do EFT.

O restante deste artigo foi compilado de meus escritos anteriores sobre os conceitos da Escrita em Nossas Paredes e inclui discussões em vídeos para melhor ilustrar.

~~~~~~~~~~~~~~~

EFT Tapping Palace image
O Palácio das possibilidades

Vivemos em um Palácio de Possibilidades.  É uma estrutura em constante expansão, repleta de quartos impressionantes e anexos que são carregados com realizações e alegria. Estes quartos estão abertos a todos, embora a maioria de nós só visite alguns deles. Não é que sejamos barrados em qualquer um dos quartos. Pelo contrário, é que nós escolhemos visitar apenas aqueles nos quais nos sentimos confortáveis.

De alguma forma, não "pertencemos" a esses quartos mais expansivos. Eles são para os outros. Eles são para pessoas mais ricas e privilegiadas e com mais talento do que nós. Nós ficamos nos que nos são familiares (nossas zonas de conforto) e não nos aventurarmos além das paredes (limites) dos quartos que escolhemos. Por que? Porque nossos "podemos" e "não podemos" estão escritos naquelas paredes e obedecemos àqueles ditames como se fossem reais. Eles são refletidos em nossas carreiras, nossas rendas, nossos relacionamentos e até mesmo em nossas autoimagens. Na verdade, há praticamente muito pouco de nossa constituição que não seja afetada pelo que está escrito nessas paredes

As palavras em nossas paredes são metáforas para os nossos diálogos internos, claro. Elas representam as atitudes, opiniões e crenças que acumulamos ao longo dos anos. Muitas delas são frases feitas de nossos pais, avós, professores, treinadores, religião, colegas, livros, TV e uma lista interminável de outras "autoridades" em nossas vidas. Se olharmos bem, muitas delas são risíveis. No entanto, elas parecem ter ainda um poder sobre nosso progresso.

Cada um de nós tem palavras diferentes nas paredes. É por isso que temos limites diferentes. Seus limites são diferentes dos meus porque as "verdades" escritas em suas paredes são diferentes das "verdades" escritas nas minhas. No entanto, elas não são realmente "verdades". Elas são apenas as orientações que adotamos para seguir na vida... E... muitas delas são ficções. Elas são crenças prontas que foram escritas por outros em nossas paredes e que temos seguido obedientemente desde então. Isto não é necessário.

Abaixo está um vídeo em que discuto este ponto importante com uma platéia ao vivo.

 

 

Isso me leva a um conceito fundamental. Sua verdade é inquestionável, mas tão sutil que tendemos a ignorá-la. Aqui está:

Nós constantemente consultamos a escrita em nossas paredes.

Essa escrita é nossa assessora mais proeminente e nós a consultamos o dia todo. E por que não? Ela representa todas as experiências que já tivemos. Ela contém todos os nossos "como fazer." Ela contém nossos podemos e não podemos, bem como nossos devemos e não devemos. Ela contém os precisamos e não precisamos, bem como nosso senso de justiça. Contém nossa versão de um comportamento adequado bem como o que é certo ou errado neste mundo. Contém nossos julgamentos, nossos sucessos e nossos fracassos. Está tudo lá... tudo que acreditamos ser verdade... escrito em nossas paredes.

Por exemplo, nós comemos sopa com uma colher em vez de um garfo, porque nossa base de conhecimento (a escrita em nossas paredes) aconselha-nos a fazer assim. É sutil, eu sei, mas é como se nós fizéssemos a pergunta, "Como comer esta sopa?" e a escrita em nossas paredes dissesse, "Use uma colher". Por isso nós usamos calças jeans em algumas ocasiões e black-tie ou vestidos de noite em outras. Constantemente nós consultamos a escrita em nossas paredes a respeito do que fazer. Essas palavras representam a "verdade" como nós a aprendemos.

Consultamos as paredes para quase tudo. Essas palavras nos falam sobre nossas oportunidades, bem como nossos limites... e muitas vezes elas entram em conflito umas com as outras. Sobre o tema das finanças, por exemplo, elas podem nos dizer, "Isto é a América, a terra da oportunidade--vá em frente." Mas elas também podem nos dizer...

  • "Você é muito jovem (ou velho) para isso."
  • "Você não tem educação suficiente."
  • "Você é uma mulher e é limitada pelo telhado de vidro".
  • "Você é uma minoria."
  • "As pessoas que arriscam acabam falindo".
  • "Chegar na frente depende de quem você conhece."
  • "Os ricos são desonestos".

Esta lista fictícia de limites continua indefinidamente, é claro. Algum deles está escrito em suas paredes? Se você acredita que qualquer um deles... ou se algum soa verdadeiro... creio que você comprou um "limite" caro que não precisa estar lá.

Abaixo está um vídeo no qual eu exploro com uma platéia ao vivo este conceito vital.

 

 

Agora, considere isto...

Meus pensamentos consistentes se tornam a minha realidade.

Embora não ouçamos isso declarado desta forma com frequência, o principal objetivo da psicoterapia sempre foi fazer com que os clientes mudassem seus pensamentos consistentes para que a qualidade de suas vidas (sua realidade) mudasse para melhor. O objetivo principal era conseguir que seus clientes pensassem de forma diferente sobre seus traumas, medos, culpa, dor, etc na esperança de colocar essas coisas "em perspectiva" e seguir em frente com suas vidas de forma mais positiva. Seus pensamentos consistentes, uma vez alterados, tornam-se sua nova realidade.

Muitos clientes desconhecem o Palácio de Possibilidades em que vivem porque eles habitam suas próprias masmorras pessoais em meio a seus pensamentos de abusos passados, memórias de guerra, medo, culpa e afins. Seus pensamentos consistentes tornaram-se realidade e quando eles vão para seu consultório de terapia, eles trazem suas masmorras com eles. A escrita em suas paredes fornece provas gráficas de sua culpa pessoal, vergonha, etc. e está ESCRITO LÁ EM LETRAS MAIÚSCULAS, GRITANDO PARA ELES. Há outras escritas, claro... até mesmo algumas de natureza mais positiva. No entanto, elas são oprimidas por essas letras maiúsculas. Essas letras maiúsculas se tornam o foco de seu pensamento... a peça central de sua existência. Elas se tornaram "limites" da vida e continuarão a sê-lo até que a escrita seja apagada e substituída.

Isso me lembra de "Ned", um vizinho meu. Ned é o pessimista definitivo e tem bastante orgulho disso. Sua conversa gira constantemente sobre os problemas em sua vida, no mundo, etc. e, como você poderia esperar, ele conseguiu manifestar muitos problemas na sua realidade. Por outro lado, eu sou bastante otimista. Aos olhos de alguns (especialmente Ned), EU seria uma grande competidor para Pollyanna. Sempre procuro por oportunidades e, curiosamente, parece que sempre encontro. Ned também parece achar o que ele está procurando (problemas). Ele raramente encontra oportunidades. Nós vemos o mundo de forma bem diferente, embora estejamos olhando para o mesmo mundo.

EFT Tapping Rocky image

Muitos anos atrás, Ned e eu conversávamos sobre o filme "Rocky". Creio que o filme foi emocionante. Para mim, era tudo sobre como uma "pessoa acabada" poderia levantar-se, reiniciar e lutar com o campeão mundial de pesos pesados. Foi emocionante. Era um glorioso exemplo do poder do espírito humano. No entanto, quando perguntei ao Ned qual sua opinião sobre o filme, ele disse, "foi sobre dois vagabundos batendo uns nos outros".

Mesmo sendo um filme idêntico para nós dois... exatamente as mesmas palavras, fotos, música, etc... tivemos reações diametralmente opostas. Como pode ser? A única diferença, é claro, foi o que trouxemos para o filme. Foi o nosso filtro (nossos pensamentos consistentes) através do qual nós percebemos os eventos e lhes damos significado (nossa realidade). Esse filme, como a vida, foi a projeção externa de um estado interior. Nossa experiência dele era estritamente um "trabalho interno". Vemos a vida como uma projeção/reflexo de nossa mentalidade. Nossos pensamentos consistentes tornam-se nossa realidade.

Novamente, estamos constantemente consultando a escrita em  nossas paredes. Fazemos isso o dia todo e as palavras mais proeminentes escritas nas paredes tornam-se nossos pensamentos consistentes (e, portanto, nossa realidade). É claro que todos gostaríamos de ter uma realidade melhor. Nós preferimos ter mais liberdade emocional... ser mais evoluídos espiritualmente... viver nos anexos mais expansivos de nosso Palácio de Possibilidades pessoal. Segue-se então que a maneira de conseguir uma melhor realidade seria mudar nossos pensamentos consistentes porque mudando nossos pensamentos consistentes automaticamente muda a nossa realidade.

Abaixo está o vídeo enfatizando este ponto.

 

 

Estou ciente de que este é um tipo cognitivo de abordagem e, como tal, algumas delas são coisas velhas (mas poderosas). O que nos leva a novos níveis aqui é a combinação dessas ferramentas com o EFT. Liberar as coisas emocionais pesadas é como apagar a escrita em nossas paredes. Quando apagamos as palavras limitantes de nossas paredes, somos livres para substituí-las com o que quisermos... e o resultado é a liberdade de tais limites.

O que acontece quando você tenta adicionar novas informações em suas paredes?

Uma garrafa de Coca-Cola vazia foi a estrela de um filme há muitos anos.

EFT Tapping Coke Bottle image

Se você viu "Os deuses devem estar loucos", então você já sabe as muitas lições que o filme tem para nós. Nesse filme uma garrafa vazia de Coca foi jogada de um pequeno avião durante o vôo sobre uma terra tribal escassamente povoada e "incivilizada". Os nativos a encontraram e, não tendo nada escrito em suas paredes sobre garrafas de Coca-Cola, ficaram muito confusos com isso. Eles não sabiam o que fazer com aquela coisa de forma tão estranha e com marcações brancas. De onde veio? Ela cresceu em uma árvore? Como pode algo tão duro ser tão transparente?

Para dar algum significado a essa garrafa, os nativos tinham que "preencher as lacunas" da melhor forma possível de acordo com a escrita em suas paredes. Os nativos, portanto, atribuíram todos os tipos de significados para este "presente," incluindo o pressuposto de que fosse um presságio dos deuses. Tornou-se um objeto precioso e várias facções da comunidade tribal brigaram por ele. Isso causou tanto estresse e consternação que os nativos finalmente concluíram que os deuses deviam estar loucos. Então eles a jogaram fora da borda do mundo (um penhasco alto) em um esforço para devolvê-la aos deuses.

Há um velho ditado que diz, "Nada tem algum significado, exceto o significado que damos a ele." Achei este ditado bastante útil ao longo dos anos, mas desejo reafirmá-lo agora para se ajustar à metáfora do Palácio de Possibilidades. Na minha releitura ele fica assim,:

"Nada tem qualquer significado exceto o que
que está escrito em nossas paredes."

Na verdade, nosso significado pessoal para tudo, desde uma garrafa de Coca-Cola à Bíblia, está escrito em nossas paredes. Este significado inclui, naturalmente, os muitos matizes que refletem nossas experiências pessoais. Dê-me uma bola de beisebol, por exemplo, e eu a segurarei com carinho e recriarei dentro de mim as grandes lembranças de beisebol que tenho de meus primeiros anos. Dê a mesma bola para outra pessoa, no entanto, e será simplesmente um objeto inanimado que outras pessoas usam para jogar um jogo bobo. Eles podem recebê-la com desdém, se representar a rejeição de não ter sido escolhido para o time. Uma bola de beisebol é uma bola de beisebol. Mas o significado que damos a ela pode ser totalmente diferente. Está tudo escrito em nossas paredes.

Deve estar claro agora que consultamos constantemente a escrita em nossas paredes para obter o significado da quantidade de dados sensoriais que recebemos o dia todo. Enquanto você lê estas palavras seu sistema está perguntando, "o que estas palavras significam" e, claro, você tem uma reflexão da escrita em suas paredes que serve como sua resposta. O sistema compara as palavras que você está lendo com o seu banco de dados existente de experiências, crenças, etc. (escrita em suas paredes) e interpreta as palavras para você. É sutil, claro. De rotina. Raramente damos ao processo mais do que um pensamento de passagem. Mas, como a respiração, nós fazemos isso o dia todo.

Mas o que fazemos quando nos deparamos com algo para o qual não há nada escrito em nossas paredes? Como fazer sentido quando nossas paredes estão em branco sobre o assunto? Simples. Fazemos o que os nativos fizeram com a garrafa de Coca-Cola. Nós inventamos um significado que se encaixa tão perto quanto possível dentro da "verdade" que já está escrita em nossas paredes. O "significado" resultante é provavelmente fictício, claro, mas isso não nos impede de fazê-lo. É uma necessidade humana dar sentido ao mundo ao nosso redor e nós iremos sempre (sim, eu disse sempre) fazê-lo de uma forma que se encaixe em nossas crenças existentes.

Observe as crianças a este respeito. Muitas vezes elas se deparam com coisas novas (pelo menos novas para elas) e inventam significados para essas "enchendo lacunas"  ana escrita limitada em suas paredes. Assim, um terremoto é um monstro pisoteando com seus pés e Preparação H é o que o vovô usa para pasta de dentes. Quando as crianças fazem isso, nós chamamos de fantasia. Mas quando fazemos isso, nós chamamos de realidade.

Como adultos, não nos deparamos frequentemente com itens totalmente novos em nosso ambiente mas experimentamos informação parcial com grande freqüência. Para dar pleno sentido a esta informação parcial (como as crianças) enchemos as lacunas a partir da escrita em nossas paredes. O veterano do Vietnã que ouve a palavra "guerra" preenche os espaços em branco com um significado muito diferente do que faz o jogador de videogame adolescente. A vítima de um pai abusivo preenche os espaços em branco sobre o Dia dos Pais muito diferente do que outros.

EFT Tapping Filling In Blanks Image
Clientes de terapia estão constantemente enchendo
os espaços em branco dar significado
a eles no mundo que os rodeia.

Ouvir como os clientes preenchem os espaços em branco leva a grandes pistas sobre questões fundamentais. A cura verdadeira dessas questões é evidenciada pelo modo como eles preencham os espaços em branco antes e depois de usar EFT. Isto é importante. Muito importante. Em alguns casos, ouvir as mudanças em como os clientes preenchem os espaços em branco pode ser mais útil do que a escala de 0-10, porque muitas vezes aponta para mais curas. A escala de 0-10 é bastante útil, claro, mas nada é tão útil quanto a mudança de cognição que é evidenciada pelo modo como o cliente preenche os espaços em branco. Essa mudança cognitiva é o verdadeiro ponto de partida.

Finalmente, há uma liberdade envolvida em reconhecer plenamente o que fazemos com o que está escrito em nossas paredes. Reconhecer que todos (inclusive nós mesmos) consultamos constantemente o que está escrito para nossa versão da "verdade", conduz a entendimentos mais pacíficos e atitudes de perdão. Ajuda-nos a nos afastarmos das discordâncias e desconsiderar o lado pessoal das atitudes das outras pessoas. Afinal, elas só estão pondo para fora o que outros escreveram em suas paredes como se fosse de alguma forma a "verdade". Permite-nos sorrir para nossas próprias comédias e reconhecer nossos "limites" pessoais como sendo ficções mentais que são pouco mais do que as crenças já estabelecidas de gerações anteriores de pais, professores, colegas e outros que nós invocamos para nos guiar neste mundo.

O que acontece quando a escrita em nossas paredes é desafiada?

Já discutimos o processo geral de adicionar novas informações a suas paredes. Se não há nenhuma referência em que se basear, basta criar, usando o que já está escrito em suas paredes, um significado que se encaixa. Mas o que acontece quando a nova informação está em oposição direta ao que já está lá?  Aqui, nós introduzimos o que eu chamei de "Tail Ender" ("ponta do rabo" ou objeções).  É a conversa interior que fornece uma objeção instantânea a informações novas que podem entrar em conflito com sua "verdade" existente sobre o mundo.

  • Se eu digo às pessoas que a cor do céu é marrom, sua provável conversa interior pode dizer algo como, "Isso é ridículo. O céu é azul".
  • Se eu tento convencer o meu vizinho, Ned, que Rocky é um filme inspirador, sua conversa interior provavelmente diria:"Ninguém quer ser um vagabundo como esses caras".
  • Se eu disser para um homem pobre que ele poderia ser um milionário, sua conversa interior poderia dizer, "Sim, mas então eu seria ganancioso."

A Escrita em nossas Paredes está lá para nos ajudar a navegar através de um mundo que é incerto na maior parte das vezes. Ela ajuda a fazer escolhas "inteligentes", ajuda a evitar perigos e reforça sua visão do que é valioso neste mundo... está lá para mantê-lo seguro. Contamos com essas "verdades" muito mais fortemente do que percebemos, o que se torna mais evidente quando elas são desafiadas diretamente.

Uma maneira eficaz de desafiar a Escrita nas Paredes de alguém é usar uma técnica chamada Afirmações. Esta técnica tem sido usada por décadas como uma ferramenta de desenvolvimento pessoal baseada nas premissas populares de "pensamento positivo", "mente sobre a matéria", ou "você é o que você pensa."  Em geral, você decide sobre uma meta como perder peso, ganhar mais dinheiro, ou qualquer outra coisa que você possa sonhar e projeta uma declaração em que assume que seu objetivo já se tornou uma realidade.

  • Meu peso normal é de 60 quilos.
  • Eu ganho US $100.000 por ano, facilmente e de forma consistente.
  • Agora sou irresistível para meu par romântico perfeito.

Corretamente projetada, uma Afirmação estará em conflito direto com a Escrita em suas Paredes. Afirma uma realidade que não só não é verdade atualmente, mas exagera a sua crença sobre o que é possível. Mais importante ainda ela também produz Tail Enders, que trazem com eles informações valiosas sobre o perfil emocional de qualquer cliente.

Aqui está um exemplo do que quero dizer. Digamos que uma mulher de 90 quilos usa uma afirmação visando pesar 60 quilos. Ela poderia afirmar algo assim...

"Meu peso normal é de 60 quilos, e isso é o que eu peso."

Como resultado, ela é susceptível de ter um ou mais "tail enders" aparecendo no final da sua afirmação. Eeas podem ser assim...

  • "Mas se eu perder peso, outros esperarão que eu o conserve."/li>
  • "Mas se eu perder peso, eu terei que gastar muito dinheiro para comprar roupas novas."
  • "Mas se eu perder peso, os homens vão olhar para mim esperando sexo."
  • "Mas se eu perder peso, os homens podem não olhar para mim e então eu saberei que não sou adorável.
  • "Mas se eu perder peso, eu terei que desistir de minhas comidas favoritas."

Esta lista de possíveis tail enders é interminável. Estes são apenas alguns exemplos. Elas não são faladas ou articuladas, claro, mas são reflexões sutis (e poderosas) dos obstáculos existentes para perder peso.  Elas são o "Sim, mas" e, na prática, representam a afirmação verdadeira.  É por isso que as afirmações não funcionam bem na prática, apesar da lógica persuasiva por trás delas.  Normalmente são seguidas pela tail-ender oposta que sempre tem a última palavra sobre o assunto.  Assim, ela ganha o argumento e mantém as pessoas bem onde estavam antes das afirmações sairem de suas bocas.  Se você é um Praticante de EFT tratando alguém que quer perder peso, saber dessas dinâmicas pode lhe fazer ganhar muito tempo.

Muito importantes para o processo de EFT, os Tail Enders frequentemente apontam diretamente para os Eventos Específicos que contribuíram para essas crenças. Para continuar com nosso exemplo de peso, considere explorar isso com os clientes:

  • "Se os outros esperam que você mantenha seu peso, como você sabe disso? Alguém falou para você?"  Talvez os pais de alguém tenham deixado claro várias e várias vezes que uma vez que você conseguiu alguma coisa você nunca deve perder essa coisa, ou talvez foram colegas na escola que julgaram alguém que havia perdido peso e depois engordou de novo.
  • "Se os homens vão mirar em você a espera de sexo, o que há de errado com isso? Houve um tempo em que o sexo foi desconfortável para você? Você já se sentiu pressionada a fazer sexo?"  Talvez tenha tido experiências de namoros desconfortáveis ou pressões irracionais para ter sexo. Encontrar esses Eventos Específicos pode ser um longo caminho para obter resultados mais profundos com EFT.
  • "Se perder peso significa que você terá que abrir mão de seus alimentos favoritos, existiu um tempo em que você foi privada de comida? Ou quando lanches foram retirados como castigo?" Assim que você encontrar um Evento Específico, siga diretamente para a Técnica de Contar Histórias para liberar esse rompimento.

Na maioria dos casos em que alguém revela sua objeção para atingir um objetivo, ele representa um medo ou uma memória desagradável. Esses Eventos Específicos geralmente podem ser revelados perguntando "o que isso faz você lembrar?" ou alguma variação disso.

Usando esta metáfora da Escrita em nossas Paredes, a Escrita existente representaria nossas "afirmações" existentes sobre o que é verdade em nosso mundo. O processo de afirmação convencional tenta substituir essas verdades com novas verdades. No entanto, as tail enders fornecem forte concorrência. Atuam como lembretes persistentes de que queremos nossas verdades, estamos confortáveis com nossas verdades, e não vamos desistir delas tão facilmente. Essas "afirmações", positivas ou negativas, irão ditar nossas escolhas enquanto permanecerem no lugar.

Se ouvirmos nossa conversa interior, vamos encontrar nossos "limites" e outras formas de afirmações rolando para fora de nossos rostos. Coisas como...

  • "Não consigo cantar",
  • "Ganhar dinheiro não é espiritual"
  • "As mulheres não podem competir num mundo de homens"
  • "Eu nunca consigo encontrar as palavras certas"
  • etc etc etc.

... são consideradas como "verdades" que nos mantêm bem onde estamos. Nós as usamos a cada minuto do dia. Elas moldam nossas vidas porque refletem as nossas crenças e nossas atitudes. Você as está usando agora enquanto lê isto. Você consulta a escrita em suas paredes (suas afirmações existentes) para concordar ou discordar do que estou dizendo. Você se pegou dizendo, "Sim, mas..." enquanto lia qualquer parte deste Tutorial? Se assim for, você está afirmando algo, talvez um limite.

Já sabemos que o EFT serve como uma borracha altamente eficaz para todas as emoções e crenças negativas que temos escrito em nossas Paredes. Quando conseguimos navegar através do sistema de crenças de alguém, podemos descobrir as questões fundamentais e os Eventos Específicos relacionados que precisam ser abordados a fim de liberar todo o potencial do EFT.

 

 

© Gary e Tina Craig
Todos os direitos reservados